X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Matriz energética em pauta

Por Antonio Ferro dia em Notícias

Matriz energética em pauta
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Mesmo com a questão indefinida, fabricantes de ônibus elétricos aproveitaram o momento para exporem seus conceitos que visam a mobilidade livre do carbono

Durante a Arena ANTP 2019, o tema matriz energética brasileira no transporte coletivo foi debatido por diversas personalidades representativas da indústria, dos combustíveis, dos operadores de ônibus, dentre outros, quanto a importância do desenvolvimento de novas soluções para a mobilidade, do ponto de vista da energia limpa, sustentável e renovável.

O SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo), um dos participantes do painel, destacou o cenário dos serviços de ônibus na capital, onde há em circulação cerca de 14 mil ônibus, seis milhões de passageiros/dia e o consumo de 1,5 milhão de combustível diariamente. Segundo a entidade, a lei municipal obriga os ônibus a reduzirem os três principais poluentes, sendo que o CO2 deve ser eliminado no próximo ano. Para isso, deve haver a substituição por meio do veículo elétrico, o que ainda está longe da realidade atual.

Mesmo com a questão indefinida, fabricantes de ônibus elétricos aproveitaram o momento para exporem seus conceitos que visam a mobilidade livre do carbono. A Eletra apresentou seu mais novo veículo, o Ônibus Elétrico Híbrido DualBus 15m, um veículo inovador para o transporte público sustentável. Ela confirma o foco em consolidar um produto nacional preparado para a realidade do mercado de ônibus urbano da América Latina.

De acordo com a empresa, seu modelo Dual Bus 15m é um veículo em que todos os seus componentes - chassi, carroçaria, motor elétrico e, principalmente, baterias - estão disponíveis no Brasil e garantidos por empresas com estrutura de assistência técnica em todo o continente latino-americano.

A Eletra ressalta que a tração elétrica é alimentada por duas fontes de energia – banco de baterias e grupo motogerador – que podem operar em modo conjunto ou independente. É solução ideal para atender a Zonas de Emissão Zero nas cidades, com ampla autonomia e sem necessidade de infraestrutura de recarga.

Todos os detalhes e mais informações sobre o novo ônibus poderão ser conferidos na edição de outubro da revista AutoBus.

Matriz energética em pauta

A marca chinesa BYD, com fábrica na cidade de Campinas, destacou o seu modelo de ônibus D9W, com carroçaria Caio Millennium padrão de São Paulo. O vice-presidente de Vendas de Ônibus BYD Brasil, Wilson Pereira, observou que a linha de montagem da fabricante tem capacidade de produção de um chassi por dia e, de acordo com a demanda, temos possibilidade de chegar a três chassis por dia, ou seja, quase mil unidades/ano. "Na média, cada ônibus elétrico em operação urbana reduz cerca de 1,8 toneladas de CO2 equivalentes, o que representa o plantio de mais de 11 árvores ao ano, além de evitar a emissão local de 118,814 kg de NOx e 1,152 kg de material particulado, os dois maiores vilões para a saúde pública", disse Wilson.

Imagens - Revista AutoBus e BYD

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Matriz energética em pauta

Enviando Comentário Fechar :/